Atividades Regulares

 Domingo

8h – Reunião de Oração

9h – E. B. D (Escola Bíblica Dominical)

10h30 – Culto Matinal

19h – Culto Noturno

 Terça-feira

19h30 – Culto de Oração

 Quinta-feira

19h30 – Estudos Bíblicos

 Sábados ímpares

19h30 – Culto da Juventude

 Sábados pares

20h – Encontro dos casais

Login

Quem está Online

Temos 58 visitantes e Nenhum membro online

AOS BENDITOS DO PAI, O REINO POR HERANÇA

AOS BENDITOS DO PAI, O REINO POR HERANÇA. 

 

“Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” Mt. 25.34

Segundo informações do site África News, um homem chamado Charles Obong, natural de Uganda, teria deixado expressas recomendações à sua esposa sobre o próprio enterro. Ele a instruiu que depositasse, junto aos seus restos mortais, a quantia US$ 55 mil (cinquenta e cinco mil dólares).  De acordo com a publicação, a intenção de Obong seria “agradar a Deus na hora do julgamento final”. A ideia era pagar a Deus pelos pecados cometidos. Seu desejo até foi atendido, no entanto, na exumação do seu corpo, os familiares se apossaram do dinheiro.

Seria cômico, não fosse trágico. Pobre homem! Em vida, acreditou que seu dinheiro poderia livrá-lo do juízo eterno. Morreu sem conhecer a maravilhosa e divina graça; não se deu conta que o preço da redenção já havia sido totalmente pago, o sangue do Cordeiro, derramado no Calvário em seu favor. Pobre homem! Viveu e morreu na triste ilusão de que poderia agradar a Deus com coisas efêmeras. 

Lamentavelmente, a história do ugandês não pode ser considerada um caso isolado. Como ele, muitos desejam escapar do juízo eterno, mas não querem fugir do pecado; desejam o favor de Deus, mas não querem oferecer suas vidas a Ele; desejam viver eternamente, mas não querem viver para Deus. Muitos querem “agradar” a Deus, porém, não são agradáveis a Ele.  Mas, louvado seja Deus, porque muitos procuram viver de modo agradável a Deus, em vida.

Só há uma forma de agradar o coração do Pai. Não são os atributos do ser humano, nem tão pouco suas qualificações ou mesmo suas realizações. O que verdadeiramente agrada o coração de Deus são vidas consagradas, corações quebrantados, mentes renovadas, joelhos dobrados diante da sua majestade, lábios que louvam e confessam àquele que é digno de toda glória. Vidas no altar enchem o coração de Deus de alegria.

Não por acaso, os cristãos de Colossos foram instruídos pelo apóstolo Paulo a buscar um padrão de vida exemplar, que honrasse e agradasse ao Senhor: “que vos comporteis de maneira digna do Senhor, procurando agradar-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra e crescendo no conhecimento de Deus”. (Cl  1:10).

A chamada para posse da herança celestial não será para aqueles que, pretensiosamente, imaginam poder pagar por ela, nem tão pouco para aqueles que tentam agradar a Deus com seus tesouros, mas para aqueles que vivem de maneira agradável ao Senhor. São estes, os “benditos do meu Pai”.  Que o Senhor abençoe a todos.

 

No Amor de Cristo,

Pr. Evaldo Palhares