Maratona da Vida Familiar

Maratona da Vida Familiar

“Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta” (Hebreus 12:1).

     O texto de Hebreus nos fala de uma corrida com paciência, talvez a pergunta seja: Como correr com paciência? Só iremos entender essa corrida, quando entendermos a vida do maratonista. Pois, para vencer é preciso treinamento adequado, boa alimentação e hidratação adequada. Tentar correr sem ter a paciência necessária é chegar a lugar nenhum.  Não basta tomar a decisão de ser um maratonista, e achar que já pode competir. Vamos pensar em alguns aspectos de uma maratona e como podemos aplicar à nossa vida pessoal e familiar. 

Em primeiro lugar: precisamos reconhecer que é desgastante, e nos preparar para os desgastes.

     Os primeiros 30 km são cruciais para o atleta. Precisamos reconhecer que barreiras aparecerão. Uma maratona tem 42,195 km de extensão. Nós também temos um percurso na relação familiar, uma “carreira que nos está proposta”,estamos ligados para toda à vida “Até que a morte nos separe”.Contudo, só para lembrar! Na Bíblia encontramos um versículo muito conhecido que fala que muitas vezes podemos nos cansar e desistir.  “Ele fortalece o cansado e dá grande vigor ao que está sem forças. Até os jovens se cansam e ficam exaustos, e os moços tropeçam e caem; mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças. Voam alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam” (Isaías 40: 29-31).

     O segredo então para vencer as maratonas da vida familiar, é correr “com paciência a carreira que nos está proposta” (Hebreus 12:1c). É esperar e renovar as nossas forças no Senhor.

Em segundo lugar: Precisamos nos conscientizar das dificuldades e planejar estratégias para a vitória.

     Existem obstáculos externos e internos: Muitos que estão aqui se lembram de Wanderley Cordeiro de Lima, o maratonista brasileiro que nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, foi abordado por um expectador, tirando-lhe a possibilidade de ganhar a medalha de ouro, ficando com a de bronze. Pessoas e as circunstâncias da vida podem tentar nos impedir. Sabemos que “em Cristo somos mais que vencedores”. Devemos deixar “todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia” (hebreus 12:1b).  Devemos estabelecer como atletas cristãos, estratégias para eliminar da nossa vida pessoal e familiar tudo o que nos atrapalha e buscar em Cristo os nutrientes necessários para começar, resistir às provações e chegar ao final da prova.

     Precisamos ter firme em nossa mente o verdadeiro propósito, tendo em vista que “estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas”. Por isso, devemos “terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus”. (Atos 20.24b).

     A maratona da vida particular e familiar se resume em correr para anunciar aos nossos queridos parentes, amigos e conhecidos que a vitória de Cristo, o Filho de Deus, se deu há mais de Dois mil anos, quando Ele morreu na cruz pelos nossos pecados. Amém.

 

Pr. José Pereira Mota Filho