Atividades Regulares

 Domingo

8h – Reunião de Oração

9h – E. B. D (Escola Bíblica Dominical)

10h30 – Culto Matinal

19h – Culto Noturno

 Terça-feira

19h30 – Culto de Oração

 Quinta-feira

19h30 – Estudos Bíblicos

 Sábados ímpares

19h30 – Culto da Juventude

 Sábados pares

20h – Encontro dos casais

Login

Quem está Online

Temos 47 visitantes e Nenhum membro online

Cinco Provas Simples da Ressurreição de Cristo

“Cinco Provas Simples da Ressurreição de Cristo”

“E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol, e diziam umas às outras: quem nos revolverá a pedra do sepulcro? E, olhando, viram que já a pedra estava revolvida; e era ela muito grande. E, entrando, no sepulcro, viram um jovem assentado a direita, vestido de uma roupa comprida e branca; e ficaram espantadas. Porém ele disse-lhes: não vos assusteis; buscais a Jesus, o nazareno, que foi crucificado; já ressuscitou, não está aqui; eis aqui o lugar onde o puseram.”

 (Marcos 16. 2-6)

     1) o corpo dele, depois da ressurreição, era diferente. Não precisava de portas para entrar numa sala. Mesmo conservando suas características físicas, seu corpo não se limitava ao espaço e ao tempo. Se Jesus apenas dormiu profundamente, ao acordar não poderia se apresentar a discípulos escondidos a portas trancadas.

     2) A coragem dos discípulos. Na crucificação, todos fugiram, apavorados a ponto de negá-lo diante de serviçais. Após a ressurreição, enfrentaram perseguições e até morte pelo nome do Mestre! Eram ousados.

     3) A transformação de vidas. No decorrer dos tempos, milhões de pessoas são transformadas e salvas ao ouvir o Evangelho de Cristo. Há mais de dois mil anos, isso acontece todo dia. Uma mentira não teria esse poder.

     4) As aparições de Jesus. Centenas de pessoas o viram após a ressurreição. Há registros de pelo menos 12 aparições de Jesus. Talvez a mais marcante seja a que veio para o apóstolo Paulo, no caminho de Damasco (At. 9). Esse encontro norteou a vida do apóstolo até o fim. Paulo, o doutor da lei, o judeu, o fariseu, só tinha um assunto diante das autoridades judaicas e gentílicas: o seu encontro com o Cristo ressuscitado. Será que ele estava enganado? Será que todos os que viram Jesus Cristo ressuscitado estavam equivocados?

     5) O túmulo de Jesus foi encontrado vazio. Os inimigos dele não poderiam ter escondido o corpo, pois isso reforçaria a idéia da ressurreição e seria uma derrota para eles. Os discípulos, coitados!, não teriam condições, devido à pedra selada na sepultura e à guarda romana. E jamais poderiam formar uma doutrina tão forte e poderosa, capaz de transformar vidas, inclusive a deles, baseados numa farsa.

     Neste domingo, o primeiro da semana, o da Ressurreição de Jesus Cristo, temos a oportunidade de refletir sobre o valor que temos dado ao dia do Senhor, o da sua vitória sobre a morte.

     O ativismo, o secularismo e a filosofia humanista que priorizam a satisfação da carne, do eu, precisam ser evitados para que na vida do crente em Jesus, prevaleça a nova criatura, prevaleça os valores e mandamentos de Jesus. Que a Ressurreição de Jesus, seja uma realidade em cada um de nós. Amém.

 

Adaptado

Pr. João Roberto Raymundo