Atividades Regulares

 Domingo

8h – Reunião de Oração

9h – E. B. D (Escola Bíblica Dominical)

10h30 – Culto Matinal

19h – Culto Noturno

 Terça-feira

19h30 – Culto de Oração

 Quinta-feira

19h30 – Estudos Bíblicos

 Sábados ímpares

19h30 – Culto da Juventude

 Sábados pares

20h – Encontro dos casais

Login

Quem está Online

Temos 19 visitantes e Nenhum membro online

O Prazer de Alegrar a Deus

O PRAZER DE ALEGRAR A DEUS

"O Senhor se agrada dos que o temem,

dos que colocam sua esperança no seu amor leal" (Sl 147.11).

 

O refrão de uma belíssima e inspirada canção de louvor, composta por Antônia Ferraz e interpretada pelo Ministério Ebenézer, declara ao Altíssimo: “quero alegrar, quero alegrar teu coração, meu prazer é alegrar teu coração”. Este é o desejo incontido no coração daqueles que reconhecem a grandiosidade do amor de Deus, bem como o propósito para o qual foram criados, na perfeita compreensão das palavras do Apóstolo Paulo que “em Cristo fomos eleitos antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e fomos predestinados para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça” (Ef. 1.4-6).

É imperativo aos que desejam agradar a Deus viver de maneira santa e irrepreensível. Podemos e devemos desenvolver um estilo de vida que em tudo agrade ao Senhor e o segredo é a adoração. Não se trata de um estilo musical ou de uma atividade na igreja. Adoração deve ser entendida como um estilo de vida.  A Bíblia declara: "Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus" (1Co 10.31); e ainda: "Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens" (Cl 3.23). Que maravilhosa descoberta! Tudo que alguém faz pode se tornar em um ato de adoração, quando for feito para o louvor, a glória e a alegria de Deus.

O grande problema é que geralmente buscamos agradar a nós mesmos e não a Deus. Ignoramos o fato de que assim como podemos alegrar o seu coração, podemos também entristecê-lo. Paulo declara: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção” (Efésios 4: 30). Entristecemos a Deus quando vivemos como se ele não existisse; quando deixamos de ouvir a sua voz; quando desprezamos a sua boa, perfeita e agradável vontade e decidimos os nossos próprios caminhos; quando flertamos com o pecado.  Consideremos isto: nossas vidas têm alegrado ou entristecido ao Senhor de toda glória?

Minha oração é que a graça divina se renove sobre nós e que firmemos o propósito de vida cujo maior prazer seja alegrar o coração de Deus.

 

No amor de Cristo,

Pr. Evaldo Palhares