Atividades Regulares

 Domingo

8h – Reunião de Oração

9h – E. B. D (Escola Bíblica Dominical)

10h30 – Culto Matinal

19h – Culto Noturno

 Terça-feira

19h30 – Culto de Oração

 Quinta-feira

19h30 – Estudos Bíblicos

 Sábados ímpares

19h30 – Culto da Juventude

 Sábados pares

20h – Encontro dos casais

Login

Quem está Online

Temos 70 visitantes e Nenhum membro online

O primeiro amor

O amor.

Das Igrejas que João se refere em Apocalípse podemos citar Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia, Laodicéia. Destacamos neste artigo a Carta a Igreja de Éfeso.

 

Em apoc 2.1-7 - Aquele que tem as sete estrelas (anjos - Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus” (1 Pe 2:9)) e os sete castiçais (igrejas) ver 1.20

Quando lemos este capítulos das cartas às sete igrejas podemos perceber claramente que Deus elogia, adverte e deixa uma opção. Deus elogia as boas obras, o trabalho, a paciência, a misericórdia, a sabedoria. Deus também faz referência a oposição dos efésios às obras dos nicolaitas, que era uma seita que se infiltrou dentro da igreja de Éfeso e que difundia mentiras sobre o evangelho, desvirtuando as verdades bíblicas.

Tendo Deus elogiado os efésios, parece que vai tudo bem!

Afinal ela estava fazendo a obra, trabalhando arduamente, tinha paciência para esperar a operação do Senhor, estava cumprindo o grande mandamento de Mateus 28, o “ide”, estava evangelizando, enfim estava, aos olhos humanos fazendo tudo que agradava a Deus.

Diante disto podemos nos questionar, o que faltava? Deus é claro, faltava o “Primeiro Amor”. A igreja tinha abandonado o que era mais importante: “Amar a Deus, sobre todas a coisas”. O texto diz, “lembra-te de onde caiste”. Ao que parece, mesmo com toda a dedicação da igreja em fazer a obra, em por à prova os falsos cristãos, em labutar pela causa de Deus, chegou um momento que tudo que estava sendo feito não passava de aparência. E Deus não está preocupado com as aparência, Deus vê o que vai no coração do homem. Deus sabe e conhece nossas intenções. Por diversas vezes Jesus pregou condenando os fariseus, pela sua hipocrisia, eles amavam ser vistos nas ruas orando e jejuando. Jesus chegou a dizer que eles já tinha ganhado seu prêmio, ou seja, eram vistos e admirados, ou não, pela população, mas o Pai que vê o coração, sabia que tudo era fachada, eram túmulos caiados, só casca. (Mateus 23.27).

Quando alerta a igreja a se lembrar de onde caiu, se arrepender e praticar as primeiras obras, fica claro que o primeiro amor está relacionado às primeiras obras. Quantos de nós quando se converteu parecia um furacão na sua dedicação a Deus e a igreja, Falando e testemunhando para todos sem nenhum medo ou vergonha, o primeiro amor é isto: A dedicação incondicional a Deus, sem receios, vergonhas ou medos. Com o passar dos dias, nós parecemos que vamos esfriando e nos tornamos como os fariseus, apenas cascas sem conteúdo. O que Deus está falando à sua igreja é isto: Não deixem que os prazeres da vida, os deleites do mundo, os cuidados pessoais, sejam mais importantes que a obra de Deus.

Assim como Jesus não veio para ser servido, mas para servir, o crente deve priorizar o serviço. (Mc 10.45), o discípulo não é maior que seu mestre. Jesus orou para que nosso amor crescesse mais e mais em ciência e conhecimento, para que as coisas exceclentes, que sejamos sinceros, cheios do frutos da justiça, para glória e louvor de Deus. (Filipenses 1:9-11)

Deus preparou para cada um de seus servos algo grandioso, nós somos sacerdotes do Senhor (1 Pedro 2.9) e tudo isto com o objetivo de anunciarmos as virtudes do Altíssimo.

Por fim a carta nos Deus nos promete o galardão da vitória, a vida eterna com Deus. Não deixemos de nos autoavaliar.